Altônia – Delegado acredita que Miss Altônia morreu por estar no lugar e no momento errados


Em entrevista concedida por telefone à RICTV Maringá, o delegado chefe da 7ª Subdivisão Policial de Umuarama, Osnildo Carneiro Lemes, disse que o duplo homicídio em Altônia pode ter relação com o tráfico e o contrabando. A execução da estudante e Miss Bruna Zucco, de 21 anos, e do empresário Valdir Brito Feitosa, de 31 anos, aconteceu no dia 22 de março.

Lemes, que faz parte da força policial envolvida na apuração do crime, contou ao programa que ao que tudo indica o alvo da execução era apenas Valdir, mas Bruna também acabou sofrendo as consequências. “A Miss Altônia, infelizmente, estava no lugar errado, com o cara errado e na hora errada. Ela não seria alvo desses marginais que assassinaram os dois”, disse ao apresentador do Cidade Alerta.

Disputa na fronteira

O delegado pontuou que a divergência entre traficantes e contrabandistas está na linha de investigação seguida pelo delegado Izaías Cordeiro Lima, que preside o inquérito.

“Todo mundo sabe que aquela região de fronteira ali, ela é muito explorada por esse pessoal que faz contrabando de cigarro e pelos traficantes de drogas e armas. E, surgiram algumas pistas nesse sentido” informou.

Na entrevista, Lemes ainda disse Bruna pode ter pego uma carona com o empresário Valdir. Em imagens de câmeras de monitoramento de comércios locais é possível identificar dois carros, um deles, o de Valdir – que foi encontrado incendiado e com os dois corpos na manhã seguinte – e um outro até o momento não divulgado pela polícia.

Ainda de acordo com Lemes, a polícia está se aprofundando nessa linha de investigação e ele acredita que será possível chegar até os executores e mandantes do crime.

O empresário

Valdir era dono de uma tabacaria em Altônia. E para Lemes, ele seria o alvo da execução. “Embora ele exerça uma atividade aparentemente legal de comerciante com a tabacaria que fazia shows, estão surgindo indícios de que ele também estava ligado com o contrabando de cigarros. E por essa razão, alguém do outro lado, ligado ao tráfico de drogas não estava muito contente com alguma atuação deles e houve esse desentendimento que, na verdade, já existe antecedentes de um tempo atrás”.

O crime

Dois corpos foram encontrados carbonizados na caçamba de uma caminhonete na manhã do dia 22 de março. Apesar de Bruna e Valdir estarem desaparecidos desde a mesma data, a confirmação oficial só foi dada na tarde da última segunda-feira (9) quando o laudo do Instituto Médico Legal de Curitiba divulgou o resultado dos exames de DNA.

Os corpos das vítimas foram sepultados no final da tarde de terça-feira (10) no Cemitério Municipal de Altônia.  

Foto: divulgação

TRX Online com informações da RICTV Maringá