Celular pode ter mais bactérias que a sola de um sapato


Estudo da Universidade de Barcelona evidenciou que o teclado do computador e a tela do celular têm aproximadamente 30 vezes mais microrganismos do que uma tampa de um vaso sanitário limpo. Uma pesquisa realizada pela Deloitte revelou que os americanos mexem em seus smartphones cerca de 47 vezes por dia, oferecendo muitas oportunidades para que os microorganismos saiam dos dedos e instalem-se no aparelho.  Um estudo feito no Arizona encontrou mais de 17 mil genes bacterianos nos telefones dos alunos do ensino médio.  O motivo é bastante simples: estes aparelhos estão em contato direto com as nossas mãos, que não são higienizadas como e com a frequência que deveriam. A tela de um celular pode ter mais bactérias que muitos objetos reconhecidos como ‘sujos’, como a sola de um sapato. 
Se uma pessoa estiver com alguma doença infecciosa, como uma gripe ou um resfriado, e tossir na mão antes de mexer no celular ou tocar no telefone de um colega, o vírus pode se espalhar rapidamente, contaminando diversos indivíduos.
Estudos encontraram patógenos preocupantes em alguns aparelhos, incluindo o Estreptococos, Staphylococcus aureus resistente à meticilina (mais conhecido pelas siglas SARM ou MRSA) e até mesmo o Escherichia coli, mais conhecida como E. coli. Apesar da maioria delas serem inofensivas, algumas podem causar infecções nada agradáveis como problemas intestinais.
Os aparelhos funcionam como veículos para que os microrganismos entrem no corpo, causando doenças que poderiam ser evitadas. Seguir simples rotinas de limpeza com as mãos e higienização de aparelhos eletrônicos pode reduzir doenças infectocontagiosas, como gripe e conjuntivite. Para as mãos, há no mercado lenços umedecidos apropriados para a higienização, caso não seja possível lavar com água e sabão – destaca o infectologista do Hospital Quinta D’Or, Dr. Marcus Cardoso.
Para que os aparelhos sejam mantidos em melhores condições de higiene, o ideal é manter pequenas regras para utilização, como: não os utilizar em área de preparação de alimentos e no banheiro, por exemplo – local com grande concentração de microrganismos. Com relação ao computador, não comer durante seu uso é uma recomendação, pois o teclado acumula resíduos alimentares, fato que atrai vetores e bactérias. Para manter a higiene, os teclados também devem ser aspirados com frequência regular.

Dicas para evitar a contaminação

Evitar deixar o celular perto dos locais onde a a comida é preparada
Evitar comer com o celular próximo
Não levar o celular para o banheiro
Lavar as mãos constantemente
As oito bactérias mais encontradas nos celulares
Coliformes
Geralmente encontrados nas fezes de todas as espécies animais. Aliás, pesquisas apontam que os coliformes estão em maior quantidade nos smartphones que em acentos de banheiros.
Escherichia Coli
Vive em nossos intestinos sem nos causar. Mas quando combinada a outro tipo bacterianos, ele pode causar infecções urinárias e gastroenterite.
Staphylococcus Aureus
Esse tipo de bactéria é o mais comum do ambiente e infecta 15% da população. Normalmente ela fica na pele e pode causar infecções sérias. 
Streptococcus
 Essa bactéria se divide em duas categorias: A e B. A primeira é mais comum em crianças que apresentam infecções de garganta e pode causar doenças mais graves na pele, como necrose. O tipo B, por outro lado, pode causar pneumonia e infecções, até mesmo no sangue.
Staphylococci Coagulase-Negativas
Essas são extremamente resistentes a antibióticos e, normalmente, são encontradas na pele humana e nas partes íntimas femininas.
Corynebacterium
Causadora de difteria, essa bactéria é bastante rara nos países mais desenvolvidos, até mesmo porque há vacinas que atuam no seu combate. 
Clostridium Difficile
São mais suscetíveis a ela as pessoas que precisaram usar antibióticos por períodos prolongados. Essa bactéria, que também está presente nos celulares, causa febre, náusea e diarreia.
Pseudomonas Aeruginosa
Uma das bactérias mais comuns nos celulares hoje em dia, essa bactéria causa infecções e é bastante resistente a tratamentos.
Saiba como limpar um aparelho celular
A  higienização de celulares e outros eletrônicos portáveis pode ser simples, mas requer alguns cuidados. Para limpar esses aparelhos deve-se evitar produtos corrosivos, como o cloro e produtos à base de amônia. EUmedeça um pano com álcool 70%, daqueles encontrados em farmácias; e passe por todo o aparelho, exceto na tela. Melhor mesmo é tirar a bateria para fazer isso sem riscos.
A tela pode ser limpa com pano de microfibras ou com camiseta de algodão. Use movimentos leves, de dentro para fora, até que as marcas sumam da tela. No dia a dia, não é preciso utilizar álcool, mas um pano seco ou papel são importantes para retirar resíduos e digitais e evitar que a sujeira – e as bactérias – se acumulem.

Foto: divulgação web

TRX Online com informações do Bem Paraná